ENCONTRO INESPERADO

 

 

 

ENCONTRO INESPERADO
 
 
Como em anos anteriores, preparámos a caravana, e aí vamos de viagem até às termas de S. Pedro do Sul. Era hábito, depois do regresso de Angola, passar quinze dias fazendo tratamento termais, que aliviava de algumas maleitas, que de lá me acompanharam, e que também aliviava a minha esposa das suas artroses.
 
Chegados ao Parque de Campismo das Termas, instalávamo-nos, e agora, com a calma habitual das termas, íamos ter quinze dias de férias, fazendo os tratamentos balneares.
O Parque era calmo, não tinha muitos ocupantes embora fosse extenso. Tinha um senão para quem não gosta: - Era habitado também por cobras e sardões, nalguns locais.
 
Agora era necessário ir a um médico das Termas, pois só eles depois de exame podem autorizar os tratamentos. Havia diversos, mas um deles sempre me despertou a atenção por ser de raça indiana. Nunca calhou ser ele a observar-me.
Desta vez solicitei para ser observado por ele.
- Por quem? Pergunta-me o administrativo que me atendia!
- Por aquele indiano, respondi.
- Ele não é indiano, é um português de Goa. Vou indicá-lo na sua ficha.
- Obrigado…
 
Chegada a minha vez fui atendido pelo médico solicitado.
Vieram as perguntas que um médico normalmente faz, mas em estilo diferente.
- Alem do que consta na sua ficha, tem mais algum problema?
- Doutor, desde que vim de Angola, em certas alturas do ano, sinto uma comichão horrível, nas virilhas. Há noites que ao acordar tenho as virilhas em sangue…
- Mostra lá isso, diz-me.
Mostrei.
- Vieste de Angola, não foi o que disseste?
- Sim.
- Ummm…
- Onde estiveste?
- Pangala.
- Não conheci!
- …
- É na fronteira Norte de Angola. A sede do nosso Batalhão era em Cuimba!
- Ah! Cuimba. Conheci muito bem! E os olhos semicerraram-se como se quisessem recordar algo que estava esquecido! Abriu-os e disse-me:
- Estive lá nos anos cinquenta. Eu era o chefe da equipa da vacinação anti-variólica que esteve lá instalada e que vacinou todas as povoações em redor. E contou um caso engraçado:
- Quando fomos fazer a vacinação à sanzala da Canda, fomos de viatura, pois a sanzala ficava a Sul da Serra da Canda, era longe e era necessário levar os medicamentos. Feito o serviço, um auxiliar alvitrou-me que se fôssemos pela picada que atravessa a serra, chegaríamos mais rápido que a viatura. Aproveitei a sugestão, e na verdade, o auxiliar tinha razão…
 
 
 
serra da Canda (vista aérea)
 
Que bom seria para nós, se, quando lá estivemos, tivéssemos tido pisteiros como este, pensei…
 
Entretanto o médico rabisca numa receita e entrega-ma.
- O que tu tens é provocado pelo pólen do capim. Onde estiveres, haja pólen e tu transpires, aparecerá sempre essa comichão. Então utiliza esta solução.
 
- Pede na farmácia que te aviem esta receita e à noite lava bem as virilhas, seca-as bem e com os dedos molhados passa o líquido pelas virilhas. Dentro de dias a comichão desaparece…
A receita era:
 
- Acido salicílico………………………. 1 Grama
- Acido benzóico………………………. 2 Gramas
- Álcool a 90º ………………………. 100 Gramas
 
Agradeci, aviei a receita, apliquei como indicou o médico, e… resultou!
 
Indico-a porque pode servir para outros.
 
 
Ângelo Ribau
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

publicado por gatobranco às 18:42 | link do post | comentar | ver comentários (10)